quarta-feira, julho 11, 2018

Eu dou conta




Eu sempre dei conta da dor, do riso, do grito, da espera e do medo; nada fácil, mas consegui.
Eu também já dei conta daquilo que tentaram fazer de mim. Já abaixei a cabeça pra injustiça, já engoli mentiras, já dormi chorando por calar a minha voz.

Eu já fui coadjuvante das minhas próprias histórias quando permiti que concluíssem por mim aquilo que penso e o que sinto.
Já omiti emoção e já virei as costas ao que minha intuição escancarava diante dos meus passos.
Ja vendei meus olhos, já ensurdeci meus ouvidos, já sabotei minha fala. Já duividei da minha Fé.

Eu sou gente e nunca tive a pretensão de concorrer com a perfeição - esse status não corresponde ao que chamo de humano, é condição Divina mesmo.

Virei a mesa e decidi dar conta daquilo que escolhi pra mim e pra quem quero comigo. Descobri que a tarefa mais digna a se fazer por nós mesmos é a de dar conta do que somos. Há quem não dê; afinal é mais fácil seguir um roteiro do que construir o caminho.

Prezo o que sinto, defendo o que acredito, protejo o que é afeto, limito invasões e calo aquilo que tenta me concluir; porque dou conta inclusive de reconhecer minhas próprias falhas, equívocos e limitações. Acabamentos só na construção civil; quando falamos em gente que sabe ser grande tudo é continuidade e permanente reforma.

Entrega não é resultado, é processo. Dar conta é saber-se muito mais do que exibe o porta retratos da sua sala de estar.

Ouse saber-se.

- Lu Rossi -




domingo, julho 01, 2018

MUDANÇAS ASSUSTAM - E quem disse que seria (SERÁ) fácil?



Mudar de casa é mais ou menos como mudar de pele. E pele, quase todo mundo sabe, é o maior órgão do ser humano.
Mudar de casa é, antes e primeiro de tudo, acatar que a vida merece uma mudança.  É compreender que sem ela tudo permanecerá estagnado.
Há momentos que nós próprios somos a mudança.
O cenário fica defasado, os vizinhos desalinhados, a vida requer subir a ladeira e descer sem ponto morto.
Mudança dá muito trabalho.
Rever toda a sua história em míseras caixas de papelão te conduz à sensação de que a sua história pode ser resumida num simples ato de mudar de casulo.
Ali tem o que você é. Ali contém o que fez para ser... Não há erro. Não há mentira que resista a uma caixa de papelão alinhada com o que você se tornou.
Suas fotos estão ali. A coberta que te acolhe está ali. Seus valores e a maneira como você lidou com eles está ali, feito ferida exposta, bem ali ao alcance dos olhos desses estranhos que chegam por necessidade para participar de um momento tão íntimo.
Logo o cenário novo estará ali esperando ser alvejado pelo seu afeto. Afinal, só se afeta com afeto, seja um cenário, seja uma relação com ele, e tomara que seja tudo isso junto.
O medo da mudança pode ser paralisante ou impulsionador.
Mudar é desafio, seja ele movimento voluntário ou não.
É o tipo de desgaste que convoca a vocação.
O talento vem de companhia e a coragem de abre-alas.
Mas o estandarte está com você.
Afinal, quem segura a bandeira que você sacode pela vida cravando sua identidade pelo mundo?

- Cláudia Dornelles -

quinta-feira, junho 21, 2018

Casamento, Modo de Usar


 

Case-se com alguém que adore te escutar contando algo banal como o preço abusivo dos tomates, ou que entenda quando você precisar filosofar sobre qualquer coisa.


Case-se com alguém que você também adore ouvir. É fácil reconhecer uma voz com quem se deve casar; ela te tranquiliza. Observe se não há desespero ou insegurança no silêncio mútuo, assim sendo, case-se.


Se aquela pessoa não te faz rir, também não serve para casar. Vai chegar a hora em que tudo o que vocês poderão fazer, é rir de si mesmos. E não há nada mais cruel do que estar em apuros com alguém sem espontaneidade, sem vida nos olhos.

Case-se com alguém cheio de defeitos, irritante que seja, mas desconfie dos perfeitinhos que não se despenteiam. Fuja de quem conta pequenas mentiras durante o dia. Observe o caráter, antes de perceber as caspas.

Case-se com alguém por quem tenha tesão. Principalmente tesão de vida. Alguém que não lhe peça para melhorar, que não o critique gratuitamente, alguém que simplesmente seja tão gracioso e admirável que impregne em você a vontade de ser melhor e maior, para si mesmo.

Para se casar, bastam pequenas habilidades. Certifique-se de que um dos dois sabe cumpri-las. É preciso ter quem troque lâmpadas e quem siga uma receita sem atear fogo na cozinha; é preciso ter alguém que saiba fazer massagem nos pés e alguém que saiba escolher verduras no mercado.

E assim segue-se: um faz bolinho de chuva, o outro escolhe bons filmes; um pendura o quadro e o outro cuida para que não fique torto. Tem aquele que escolhe os presentes para as festas de criança e aquele que sabe furar uma parede, e só a parede por ora. Essa é uma das grandes graças da coisa toda, ter uma boa equipe de dois.

Passamos tanto tempo observando se nos encaixamos na cama, se sentimos estalinhos no beijo, se nossos signos se complementam no zodíaco, que deixamos de prestar atenção no que realmente importa; os valores. Essa palavra antiga e, hoje assustadora, nunca deveria sair de moda.

Os lábios se buscam, os corpos encontram espaços, mas quando duas pessoas olham em direções diferentes, simplesmente não podem caminhar juntas. É duro, mas é a verdade. Sabendo que caminho quer trilhar, relaxe! A pessoa certa para casar certamente já o anda trilhando. Como reconhecê-la? Vocês estarão rindo. Rindo-se.
(Diego Engenho Novo)

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Nosso aniversário de 32 anos de casamento, Sim... 32 anos, não é pra qualquer um não
_ Bodas de Pinho_

Fiquei pensando, que estranho... por que pinho?
O que podemos aprender com o pinheiro?
       Há sempre pérolas escondidas, em cada detalhe:
Como o pinheiro nosso casamento deve ser perene, inesgotável. Nas feridas da vida, como os pinheiros, podemos aprender a produzir resinas com poder medicinal, saindo unidos e mais fortes dos desertos:
"Quem é esta que sobe do deserto e
vem encostada ao seu amado?" (Ct 8.5).

       Assim como a beleza do pinheiro e o perfume de suas resinas são irresistíveis para quem convive, amigavelmente, em suas proximidades, como casal devemos exalar sempre a beleza e o bom perfume de Cristo (2 Co 2.15).
       Por outro lado, aprendo que, como os pinheiros dificultam o desenvolvimento de plantas daninhas em suas proximidades, devemos zelar com discernimento, evitando as raposinhas que, ao verem nossas vinhas floridas, buscam 'comer pelas beiradas', as nossas alegrias e a nossa comunhão (Ct 2.15).
     
       Para os celtas da Irlanda, o pinheiro representa a árvore do nascimento, do renovo e, para muitos povos, a árvore símbolo do Natal. Que o nosso casamento, amor e comunhão se renovem, dia a dia, assim como a nossa fé, a alegria da nossa salvação e a nossa esperança no Senhor.

domingo, junho 10, 2018

Bom dia Gentyyy _ de novo esse texto,combinou!


Eu te desejo uma fé gigante, quando o medo quiser te fazer pequeno
Te desejo uma força tremenda para enfrentar o que vier.
Te desejo confiança e fé no poder divino que é capaz de tudo transformar.
Te desejo mão estendida na hora certa, aquela em que você mais precisar.
Te desejo amparo e acolhimento quando for disso que teu coração carecer.
Te desejo paciência para esperar o tempo necessário para o melhor chegar.
Te desejo a companhia perfeita quando a solidão se aproximar.
Te desejo energias do bem conspirando a favor de teus sonhos.
Te desejo uma luz bonita aquecendo teu coração sempre.
Eu te desejo amor, te desejo paz.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...