segunda-feira, abril 10, 2017

terça-feira, março 28, 2017

Não Estamos Preparados Para Sermos “Pais” De Nossos Pais




Nascemos filhos. E esperamos ser filhos para sempre. Mimados, educados, amados. Que nossos pais invistam doses cavalares de amor em todo nosso caminho pela vida. Quando a vida doer, haja um colo materno. Quando a vida angustiar, encontremos neles um conselho sábio. E, quando isso nos falta, há sempre uma lacuna, um sentimento estranho de sermos exceção.
Mesmo adultos, esperamos reconhecer nossa meninice nos olhos dos nossos pais. Desejamos, intimamente, atenções miúdas, como a comida favorita no dia do aniversário ou a camiseta do time de futebol se estamos na casa deles.
Não estamos prontos para trocar de lugar nessa relação.
É difícil aceitar que nossos pais envelheçam. Entender que as pequenas limitações que começam a apresentar não é preguiça nem desdém. Não é porque se esqueceram de dar o recado que não se importam com a nossa urgência. Que pedem para repetirmos a mesma frase porque não escutam mais tão bem – e às vezes, não está surdo o ouvido mas distraído o cérebro. Demora até aceitarmos que não são mais os mesmos – que dirá “super-heróis”? Não podemos dividir toda a nossa angústia e todos os nossos problemas porque, para eles, as proporções são ainda maiores e aí tudo se desregula: o ritmo cardíaco, a pressão, a taxa glicêmica, o equilíbrio emocional.
Vamos ficando um pouco cerimoniosos por amor. Tentando poupar-lhes do que é evitável. Então, sem querer, começamos a inverter os papéis de proteção. Passamos a tentar resguardar nossos pais dos abalos do mundo.
Dizemos que estamos bem, apesar da crise. Amenizamos o diagnóstico do pediatra para a infecção do neto parecer mais branda. Escondemos as incompreensões do casamento para parecer que construímos uma família eterna. Filtramos a angústia que pode ser passageira ao invés de dividir qualquer problema. Não precisam preocupar-se: estaremos bem no final do dia e no final das nossas vidas. Mas, enquanto mudamos esses pequenos detalhes na nossa relação, ficamos um pouco órfãos. Mantemos os olhos abertos nas noites insones sem poder correr chorando para a cama dos pais. Escondemos deles o medo de perder o emprego, o cônjuge ou a casa para que não sofram sem necessidade e, aí, estamos sós nessa espera; não há colo nem bala nem cafuné para consolar-nos.

Quanto mais eles perdem memória, vigor, audição, mais sozinhos nos sentimos, sem aceitar que o inevitável aconteceu. Pode até surgir alguma revolta interior por esperar deles que reagissem ao envelhecimento do corpo, que lutassem mais a favor de si, sem percebermos, na nossa própria desorientação, que eles não têm a mesma consciência que nós, não têm como impedir a passagem do tempo ou que possuem, simplesmente, o direito de sentirem-se cansados.


Então pode chegar o dia em que nossos pais se transformem, de fato, em nossos filhos. Que precisemos lembrá-los de comer, de tomar o remédio ou de pagar uma conta. Que seja necessário conduzi-los nas ruas ou dar-lhes as mãos para que não caiam nas escadas. Que tenhamos que prepará-los e colocá-los na cama. Talvez até alimentá-los, levando o talher a sua boca.

E eles serão filhos que darão mais trabalho porque lembrarão que são seus pais. Reagirão as suas primeiras investidas porque sabem que, no fundo, você sabe que lhes deve obediência. Enfraquecerão seus primeiros argumentos e tentarão provar que ainda podem ser independentes, mesmo quando esse momento tiver passado, porque é difícil imaginarem-se sem o controle total das próprias rotinas. Mas cederão paulatinamente, quando a força física ou mental reduzir-se e puderem encontrar no seu amor por eles o equilíbrio para todas as mudanças que os assustam.
Não será fácil para você. Não é a lógica da vida. Mesmo que você seja pai, ninguém o preparou para ser pai dos seus pais. E se você não o é, terá que aprender as nuances desse papel para proteger aqueles que ama.
Mas, se puder, sorria diante dos comentários senis ou cante enquanto estiverem comendo juntos. Ouça aquela história contada tantas vezes como se fosse a primeira e faça perguntas como se tudo fosse inédito. E beije-os na testa com toda a ternura possível, como quando se coloca uma criança na cama, prometendo-lhe que, ao abrir os olhos na manhã seguinte, o mundo ainda estará lá, como antes, intocável, para ela brincar.
Porque se você chegou até aqui ao lado dos seus pais, com a porta aberta para interferir em suas vidas, foi porque tiveram um longo percurso de companheirismo. E propor-se a viver esse momento com toda a intensidade só demonstrará o quanto é grande a sua capacidade de amar e de retribuir o amor que a vida lhe ofereceu.

Texto de Ana Lúcia Gosling – extraído da Obvious

quarta-feira, março 08, 2017

Feliz dia da mulher pra todas nós!!!



"Quem você pensa que é?"

perguntou pra mim de queixo em pé...
Sou forte,
fraca,
generosa,
egoísta,
angustiada,
perigosa,
infantil,
astuta,
aflita,
serena,
indecorosa,
inconstante,
persistente,
sensata e corajosa,
como é toda mulher,
poderia ter respondido,
mas não lhe dei essa colher.

                                                             - Martha Medeiros -


Porque pra aqueles,que me conhece...



Eu sou aquela mulher
a quem o tempo muito ensinou.
Ensinou a amar a vida
e não desistir da luta,
recomeçar na derrota,
renunciar a palavras
e pensamentos negativos.
Acreditar nos valores humanos
e ser otimista.

                                                     - Cora Coralina -

Eu sou MULHER, 
mais especial, nesse grande dia.

- Feliz dia mulher !!! -

segunda-feira, março 06, 2017

Trem Bala - Ana Vilela * Bom dia Gentyyyy

Não é sobre ter
Todas as pessoas do mundo pra si
É sobre saber que em algum lugar
Alguém zela por ti
É sobre cantar e poder escutar
Mais do que a própria voz
É sobre dançar na chuva de vida
Que cai sobre nós

É saber se sentir infinito
Num universo tão vasto e bonito
É saber sonhar
E, então, fazer valer a pena cada verso
Daquele poema sobre acreditar

Não é sobre chegar no topo do mundo
E saber que venceu
É sobre escalar e sentir
Que o caminho te fortaleceu
É sobre ser abrigo
E também ter morada em outros corações
E assim ter amigos contigo
Em todas as situações

A gente não pode ter tudo
Qual seria a graça do mundo se fosse assim?
Por isso, eu prefiro sorrisos
E os presentes que a vida trouxe
Pra perto de mim

Não é sobre tudo que o seu dinheiro
É capaz de comprar
E sim sobre cada momento
Sorriso a se compartilhar
Também não é sobre correr
Contra o tempo pra ter sempre mais
Porque quando menos se espera
A vida já ficou pra trás

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça Seus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir

Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá
Laiá, laiá, laiá, laiá, laiá

Segura teu filho no colo
Sorria e abraça teus pais
Enquanto estão aqui
Que a vida é trem-bala, parceiro
E a gente é só passageiro prestes a partir



quinta-feira, fevereiro 23, 2017

O Bem Maior






Só por hoje, já que é o dia da minha vida, 
eu vou me importar menos com o que falam, 
e fazer mais o que me importa. 
Vou deixar de lado a amargura e sorrir.

Vou sorrir pelas coisas mais simples,
 até das piadas infames daquele amigo tonto.

Vou deixar a tristeza trancada no armário da rodoviária, 
vou jogar fora a chave e sair para uma viagem, 
que pode ser aqui.

O meu paraíso é aqui mesmo, 
não preciso me esconder numa casinha branca distante, 
nem fugir para o mato ou lugar remoto, 
a minha paz está onde eu estou, 
é dentro de mim que ela habita.

Por isso resolvi deixar a paz invadir a minha vida
 e ninguém vai roubar isso de mim.

Podem me tirar a roupa, 
roubarem meu carro,
 levarem a casa,
 a cama e a o armário,
 o amor da minha vida pode resolver partir,
 mas o bem mais precioso ninguém vai levar.

A paz que eu conquisto agora,
 é a certeza de que posso e 
vou ser feliz, 
e isso, 
ninguém vai roubar de mim.




[Desconheço o autor]

quinta-feira, fevereiro 16, 2017

Bom dia gentyyyy!




“Alegrem-se sempre. Orem continuamente. Deem graças em todas as circunstâncias, 
pois esta é a vontade de Deus para vocês em Cristo Jesus.” (1 Tessalonicenses 5.16-18)

O que você faz quando ora repetidamente por algo e Deus parece não responder? 
Quando isso acontecer, faça sempre o que sabe ser da vontade de Deus. 
E é sempre da vontade de Deus que você seja alegre, persista na oração e agradeça-lhe, 
sem levar em conta as circunstâncias. “Alegrar-se sempre” significa que temos de fazer uma escolha. 
Nem sempre podemos escolher como sentir, mas podemos escolher como reagir aos sentimentos. 
Quaisquer que sejam as condições em que nos encontramos, quando reconhecemos nelas a 
grandeza de Deus, experimentamos a alegria do Senhor. “Orem continuamente” 
significa orar no momento em que pensar a respeito de algo, permitindo que a oração se torne a 
resposta natural aos acontecimentos. O desafio para orar sem cessar é um convite para 
desenvolver uma vida de oração contínua, independentemente dos acontecimentos. 
“Dar graças” é a principal razão para orar. É expressar gratidão por quem Deus é e por tudo o 
que ele fez. É dizer “obrigada” a Deus nos momento em que não podemos ver o quadro inteiro, 
sabendo que ele lançará sua luz sobre a situação. Precisamos agradecer “em todas as circunstâncias” 
porque alguma coisa boa sempre acontece quando damos graças a Deus. 
Quando estiver à espera de conhecer a vontade de Deus para o futuro, persista na oração e no louvor, 
e permita que a alegria do Senhor irrompa em seu coração.



* Texto tirado do Instagram  @PalavradodiaCoutinho - Por: Michelle Coutinho

* Art da Paty


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...